Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Hoje vamos falar da nossa prática conhecida no Brasil como rapel, a denominação deste esporte vem do verbo francês rappeler que significa chamar, recuperar, explorar. Entre os praticantes há uma versão popular de nomenclatura: “rapelar”, com o significado de escorregar corda abaixo seguro por um cinto de segurança apropriado e uma peça de freio. Ou seja, o rapel é uma técnica de descida de cachoeiras, cascatas, precipícios, prédios, pontes, morros, penhascos, paredões, viadutos, cavernas e onde tem que usar cordas para chegar no destino.

Para praticar rapel é necessário ser conhecedor de técnicas de montanhismo além de ter experiência com o manuseio de equipamentos básicos de escalada como cadeirinha, mosquetões, freio oito, corda, ancoragens, técnicas de resgates em alturas entre outras técnicas e equipamentos. Há ainda os equipamentos de segurança, como luvas e capacete que também não são de menor importância. Apesar de sua prática

Setor Testa

O Morro do Moreno tanto visto de Vitória ou da Rodovia do Sol se parece com uma macaca gravida deitada e se divide em três setores Testa da Macaca, Boca da Macaca e Barriga da Macaca.Nossa aventura começa no pé do Morro do Moreno no acesso sul, partimos pela estrada de acesso ao topo do Morro do Moreno, no terceiro cotovelo fica a entrada ao topo conhecido como “Testa da Macaca”, temos uma visão panorâmica de Vitória e Vila Velha, com um visual da Terceira Ponte, Convento da Penha e da Baia de Vitoria a trilha e de nível baixo não exige muito esforço físico.No local existe três vias de rapel a primeira que fica ao lado direito e muito usada pelos escaladores a segunda que fica ao meio e feito um rapel todo positivo e a terceira do lado esquerdo onde será feito nosso rapel